Tu peor error – O pior erro – S.Sheeran mais uma vez

TU PEOR ERROR – MATÉRIA OSCURA

sheeran2observação: Todas as imagens são desenhos e criação de S.Sheeran, buscadas em seu site e página. 

Em tradução livríssima, em português poderia ser  O pior erro – escuridão da matéria? Por aí.

Caribe. Sol. Praia. Que romance nascido ali, olhando pôr do sol enquanto os olhos descansam no infinito do oceano, não é doce e com final feliz? Calma, veja só o que tenho a contar.

S.Sheeran voltou. Depois de fazer nosso coração parar na mesa de cirurgia do Dr.Snow com o pequeno e doce livro El ángel de Sol, agora segure-se para um passeio eletrizante entre o submundo, aquele que circula baixo nossos olhos ou então baixo nossa omissão, grandes corporações, influências, experimentos, raiva, sangue e poder, regado com uma boa dose de sensualidade e erotismo, camuflado entre inocência e culpa, ou ambas situações.

Desta vez o passeio é com Damián e Sebástian Roa. O primeiro, um moreno tentador, com um olhar de congelar o espírito contrastado com o briguento, inconsequente irmão mais novo Sebástian, um loiro de olhos verdes que é puro nervos, uma dinamite prestes a explodir desde as páginas quando é apresentado, até a última linha.

Na equação entra uma ruiva com sardas, de olhos azuis. Uma sofredora. Uma batalhadora. Uma menina que não medirá esforços para amar, proteger.

Já li tudo da autora que caiu sem muitos preâmbulos em minhas mãos com um livro chamado Te acostarías conmigo?, depois veio Fuíste Tu! Que completa a bilogia. Veio então o meu preferido dela, o já citado, El Ángel de Sol. Já falei dele aqui. É natural que um autor vá amadurecendo seu traço ao longo do caminho, isso não significa perder ou divagar em sua característica como escritor. É o que aconteceu com S.Sheeran. Com um traço mais firme, situações mais claras, narrativa mais limpa, um nó melhor amarrado, ela faz você sentar no divã da leitura e, segure-se por algumas horas. A leitura deste livro nada mais é que, eletrizante, empolgante.

É um romance normal. Dos muitos que estão no mercado? Quase isso, não fosse o diferencial que a autora tem em sua capacidade de mesclar romance meloso com suspense, fúria, sem expor demasiada crueldade, ao mesmo tempo que não dilacera a pena em descrever com demasiada ênfase as partes românticas. É tudo dosado. Até mesmo os personagens levam esta medida certa. Uma narrativa que segura da primeira à última linha. E esta última linha é já o bônus do primeiro capítulo do 2º livro da série Tu peor error – 66 lunas. A espera será até início de 2016. Enquanto isso, dá pra ler todos os outros livros dela, se apaixonar, se deixar conquistar por uma nova escritora. Em algumas partes, ela vai seguramente lembra-lo de Edgar Alla Poe.

Motivos para ler Tu peor error – Materia oscura

1. A escritora é de Porto Rico. Quantos escritores você conhece de lá? Então – uma imensa e grata oportunidade.

2. Os personagens – Um moreno, outro loiro, uma ruiva. Bondade, Fúria, Inocência. Tudo isso a ser confirmado, lendo.

ROA

3. Personagens secundários misteriosos, intrigantes. Medo de encontrar com alguns por aí, vontade de conversar com outros, sobre a vida, a entrega, o amor desmedido.

4. Tem trejeitos de enredo, não de escola de samba, de filme mesmo. Anota isso. De nada!

5. A imprevisibilidade de tudo, de TODOS. Em um único momento consegui supor corretamente o que viria. Mas isso, deixo para você, que vai ler também, tentar captar.  Nada do que parece ser, é. E nem sempre SER, parece, ou algo assim.

6. A possibilidade de olhar estrelas, estudar constelações e tentar entender o que há entre estes espaços de luz, de sombra, de negritude plena. E embora seja a parte do livro que mais me surpreendeu, não posso contar mais nada, seria SPOILER na certa. Bonito Seba.

Arte e desenho de S.Sheeran e filha

Arte e desenho de S.Sheeran e filha

A única consideração que deixou meu espírito leitor um pouco abatido foi: pendem para o próximo livro muitos fios soltos. E que, até lá vai demorar um pouco. Um outro motivo que me deixa ansiosa é que, ela deveria ser traduzida para línguas de Camões e Assis. Enquanto isso não acontece, #Oremos!

Abaixo, resumo em Português em tradução livre e ‘quase’, literal.

Tu peor erros

Natalia Benavent acredita que poderá refazer sua vida, mudar tudo, ao aceitar o trabalho no clube noturno de moda na cidade. Não estava errada. Tudo mudou.

Damián amaldiçoa cada segundo em que está confinado nesta ilha. Tentava levar uma vida normal longe do sobrenome Roa. Assim que o tio possa retornar e tomar as rédeas dos negócios ele jura que vai para muito longe.

Antes é impossível.

Muita gente depende dele.

Sebastián, o mais novo dos irmãos Roa, esteve desaparecido, em paradeiro desconhecido para muitos. Esperava o momento perfeito para voltar pra casa e assumir um lugar no império Roa.

O dia chegou.

Damián só buscava um administrador para o clube. Ela e sua agilidade com os números parece perfeita para esta necessidade. Não imaginou nunca que encontraria em Natália algo mais, muito menos que Sebástian faria o mesmo.

De repente o futuro de muitos esta em mãos desta jovem.

Quem vai ter o futuro dela?

Neste primeiro livro da bilogia Tu Peor error você vai entrar em um mundo paralelo onde a ingenuidade camufla a realidade oculta e, o amor, o elo mais fraco do sobrenome Roa.

Dito isso, ficamos então a espera de um dia encontrar com o bonito Seba em língua portuguesa.

Já contei também que ela esta entre minhas queridas? Jojo Moyes, Colleen Hoover, Julia Quinn, etc…, etc… e etc… Cada uma em um terreno. Sheeran difere de todas elas, mas é malditamente boa quando inventa de deixar seu posto de Manager e escrever.

Que Deus a abençõe. Anhém!!

by Irene Afonso 

Publicado em Leituras | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

260 – de 315 vezes Curitiba

Existem as fotos para aquele dia em que, entre passar roupa, faxinar a casa, pensar na mala para uma curta viagem que fará a família, mais ir ao mercado, ir a aula de Pilates, e bom, respirar, não dá tempo de lembrar da máquina fotográfica.  Com estas poucas coisas, hoje não consegui ver mais nada a não se o caminho da escola-volta da escola / caminho da escola-volta da escola, passando pelo marcado antes da última volta da escola.

Então, como Parque Bariguí já esta na lista dos muitos motivos pelos quais gosto de viver em Curitiba, hoje ficamos com mais uma de lá.

Esta big family de patinhos que enfeitam o parque com seus gracejos, esperando pão e salgadinho, passeando para lá e pra cá com seus filhotes, tem inclusive um rol de amigos, os senhores Quero-quero.

DSC_0011Se tivesse dado tempo, quem sabe eu teria ido caminhar lá .rsss!!

By Irene Afonso

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

261 – de 315 vezes Curitiba

Porque uma cidade é também seu conjunto arquitetônico, o cuidado, a preservação deste conjunto, e também a inovação, a criação.

Porque uma cidade também são seus templos.

Para a foto 261, faixada da Igreja Evangélica na rua Comendador Araújo, no Centro da cidade.

IMG_2413 Até mesmo as árvores seguiram a lógica dos traçados, curvas.

Divinal.

by Irene Afonso 

 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com | Deixe um comentário

262 – de 315 vezes Curitiba

As rosas no meu caminho! Hoje deixo duas fotos para celebrar um só motivo.

Caminhamos sempre muito rápido, não há tempo para os detalhes.

Nestes dias que me propus buscar um motivo para celebrar a cidade que pela quarta vez é minha morada, procuro olhar para os lados, e a surpresa e o encanto sempre acontece, como por exemplo estas rosas que enfeitavam um muro de uma casa, antes do típico jardim que antecede a calçada.

Um privilégio comum por aqui.DSC_0242 DSC_0244Como sou amante das rosas, das flores em geral, aproveitei para registar o encanto. Um detalhe mimoso que o  dono desta  casa fornece aos caminhantes. Aos que ousam olhar para os lados.

by Irene Afonso 

 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com | Deixe um comentário

263 – de 315 vezes Curitiba 

A 263ª é do dia em que saímos sem a máquina e de repente em meio aos trabalhos da manhã bate aquela fome. Se a segunda-feira é o dia internacional do regime, hoje quebrei a regra.

Quando me deparei com este Café, as apresentáveis tortas que se via na vitrine mais esta esplanada, reuni dois objetivos em um só, e mesmo sem a máquina para fazer jus, fica ai o registro de mais um mimo, um cantinho para ler enquanto come, ou observar os transeuntes, ou tudo ao mesmo tempo e sem nenhuma ordem especifica.

Esplanada na confeitaria Bazar Doce - Bairro Batel

Esplanada na confeitaria e café Bazar Doce – Bairro Batel

Esplanadas, outro detalhe para apreciar enquanto por aqui estamos.

by Irene Afonso

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com | Deixe um comentário

264 – de 315 vezes Curitiba

Você pode me questionar dizendo que este tipo de jardim, ou esta organização é característica de alguns bairros apenas. Sim e não. Em bairros mais retirados do centro há sim esta consciência do jardim, da grama antes da calçada, mesmo onde não há muito bem uma calçada. Fato é que, tem sim, momentos em que a calçada não existe, muito menos jardins, e isso acontece desde os bairros mais nobres. Felizmente essa consciência em Curitiba é melhor trabalhada, ainda que exista muito a ser melhorado.

Gosto especialmente de caminhar por estas ruas tranquilas. Vez ou outra a produtora de pérolas da família diz: – Mãe, aqui não esta parecendo outro país?

Jardins na Rua Gastão Câmara - Bairro Bigorrilho

Jardins na Rua Gastão Câmara – Bairro Bigorrilho

Detalhes! Motivos reais para estar e viver bem. Detalhes que viram o encanto de cada dia e o deleite de muitos deles.

Tem até pit stop para apreciar e investigar  um dente de leão que nasceu ali. Sossegadamente!!

by Irene Afonso 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com , | Deixe um comentário

Passeio de última hora – os caminhos, o verde e a poesia das araucárias

Ontem foi um destes ‘dias órfãos’. Estranho o termo? Explico: Dia em que a mãe e o pai levam a criança para uma festa de aniversário (internalizando a fórceps esta nova etapa) que durará por exemplo, 4 horas e, nestas 4 horas, o pai e a mãe ficam um tanto perdidos. Nem adianta o discurso: – Mas NOOOOOSSSAAAA com tanta coisa que tem para fazer, desde o mais óbvio a programas mais elaborados. Simples assim, ficamos perdidos, um momento ao menos.

Então, o homem multilingue que gosta de pegar a estrada e andar sem rumo, fez exatamente isso.

Céu azul, temperatura amena, muito verde e o baile da copa das araucárias nos levaram a uma pequenina cidade da região metropolitana de Curitiba.

DSC_0220

Mas enquanto não chegamos lá, gosto especialmente de ir olhando a paisagem e os contornos da estrada. DSC_0214E se tem algo imprevisível aqui, são as estradas, ora retas, ora curva, envoltas por manto verde, ou apenas casas de lado e outro, ou apenas o vazio, o descampado. DSC_0215Alguma comparação com a vida é mera coincidência. Partimos do já estabelecido, a vida é uma viagem e muitos são os caminhos que tomamos, e as curvas com que nos derrapamos.
DSC_0216 Em um momento parece tudo certo, tudo tranquilo.DSC_0217 E vem de repente uma novidade, um acontecimento. DSC_0219Alguns bons acontecimentos. Outros nem tanto. É claro que todos nós vamos a algum lugar, e muita coisa depende de nossas escolhas. DSC_0223Decidimos  então o destino: Colombo, nunca tínhamos passado lá. DSC_0229 A rua principal da cidade, onde esta a Prefeitura, bancos etc, tem em frente a Igreja Matriz. DSC_0233 Uma das ruas da pequena cidade. Vimos apenas a parte central, onde paramos para tomar café e comer uma deliciosa torta de morango, mas fiquei com aquela doce impressão do ‘minimamente organizado’, embora se saiba por estatísticas que fornece a imprensa, que é uma região necessitada em segurança e alguns outros tantos quesitos. DSC_0234E como sempre, não posso deixar de ver os canteiros com flores e sempre me coloco a falar com elas pedindo uma pose bonita… elas nunca me decepcionam.

Enjoy your way / aproveite seu caminho!!

by Irene Afonso 
Publicado em Inspiraçao | Marcado com | Deixe um comentário

265 – de 315 vezes Curitiba

Então, para a foto de hoje, os mimos que apresenta Curitiba aos olhos daqueles que passeiam procurando por seus encantos.

Esta casa, que para não propagar bobagens,  melhor não comentar o estilo da arquitetura nem nada, portanto ficamos com o certo: Belíssima, deslumbrante, um conto, uma história, fica na Rua Ignácio Lustosa, bem pertinho do Shopping Muller.

DSC_0238

Casa na Rua Ignácio Lustosa – Próximo ao Shopping Muller

Salve o sinal vermelho, ou o trânsito denso. Da sempre tempo de olhar ao lado. Da sempre tempo de procurar e sempre encontrar o belo. Se for em Curitiba é sempre fácil, mas em qualquer outro lugar também é possível.

by Irene Afonso 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com | Deixe um comentário

266 – de 315 vezes Curitiba

Uma amiga sempre me fala de uma tal feira gastronômica que acontece às sextas-feira não muito longe de casa.

Então, ontem reunida de valor anunciei a família que era meu dia de férias e que o jantar então, seria uma perambulação pela feira petiscando o que se insinuace apetitoso. E não é pouca coisa. Vai desde o nosso pastel recheado de carne, queijo, palmito ou o que for mais aos tacos mexicanos, empadas argentinas, comida japonesa e segue, segue e segue, parando em um barraquinha que se chama O Cantinho gaúcho que é claro, oferece um espetinho de carne assada de lamber os beiços, voltar lá e dar mais R$ 4,50 por mais um passado na farinha de mandioca.

DSC_0201

Feira gastronômica na Praça da Ucrânia – acontece toda sexta feira a noite

DSC_0204

Fica a dica para um passeio diferente. Em meio ao verde da Praça da Ucrânia, Bairro Bigorriho, que é uma homenagem aos ucranianos estabelecidos em Curitiba e por todo o estado do Paraná, a oportunidade de saborear comidinhas, conversar e rir alto (Não muito porque curitibano é contido) e ouvir o delicioso sotaque do povo curitibano, além de ser atendido com um sorriso farto e simpático, ou apenas simpático dos feirantes.

by Irene Afonso  

 

 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com , , | Deixe um comentário

267 e 268 – de 315 vezes Curitiba

As fotos de hoje compensam a falta da de ontem. Não compensammmm assim muito bem, pois foram tiradas enquanto dirigia, mas devo alertar que em horário calmo ok. Me abuso um pouco do fato de que aqui são todos um pouco mais lentos no trânsito e raramente se ouve uma buzina.

IMG_2397

O outuno que se aprensenta pelas ruas da cidade

IMG_2408

Bosque entre uma via, com direito a oista de caminhada, de bicicleta e etc.

Então sendo assim, vamos contemplando bosques e o que mais vai aparecendo pela frente.

by Irene Afonso 

 

Publicado em Curitiba - 315 fotos | Marcado com | Deixe um comentário